16 setembro 2014

As Batidas Perdidas do Coração - Bianca Briones

Resenha por: Ana Zuky
Título: As Batidas Perdidas do Coração
Autor(a): Bianca Briones
Editora: Grupo Editorial Record
Selo: Verus
Gênero: Romance
Subgênero: Novo Adulto
Páginas:402
Compre: Submarino  /  Extra  /  Americanas  /  Cultura  /  Saraiva
Nota:

Viviane acaba de perder o pai. Com a mãe em depressão, ela se vê obrigada a assumir o controle da casa com o irmão mais novo. Rafael teve o pai assassinado há alguns anos e agora viu quatro pessoas de sua família, incluindo a única irmã, morrerem em um acidente de carro. Viviane pertence a uma classe social que ele despreza. Rafael é tudo o que ela sempre ouviu que deveria evitar. Eles são opostos, porém dividem a mesma dor. Jamais se aproximariam se a morte não os colocasse frente a frente, e agora, por mais que saibam que são completamente errados um para o outro, não conseguem evitar uma intensa conexão, que poderá salvá-los ou condená-los para sempre. As batidas perdidas do coração é uma história sobre perdas e como cada um lida com elas. É o encontro atormentado entre a dor e o amor. Com uma narrativa sexy, envolvente e repleta de música, este livro traz a última tentativa de duas pessoas arruinadas que, juntas, buscam desesperadamente se encontrar.


O que você diria se acompanhasse uma historia que começa clichê, e no final te surpreende?
Caso você se sinta confusa (o) com o que perguntei, sinto dizer que terá que ler o livro As Batidas Perdidas do Coração. Não sou má, apenas atiçando vocês. Rs
O subgênero NA é desde a descoberta – por mim – acompanhada. Então quando a Verus informou sobre o livro e descobri que era nacional, não pensei duas vezes.
A leitura começa nos apresentando ao sofrimento e perdas da personagem Viviane (conhecida como Vivi), e neste meio ao sofrimento ela deparasse com Rafael (conhecido como Rafa). Nenhum sabe o porquê de cada um deles estarem ali.
A forma deles se conhecerem foi quando Rafa pegou seu primo no grupo de ajuda, qual Vivi e seu irmão Rodrigo participam. Ali Vivi se mostra repulsa sobre Rafa, e o que faz.
Por causa da amizade de Rodrigo (irmão de Vivi) e Lucas (primo de Rafa), que esses dois começam a se conhecer e engrena o romance.
Vamos conversar agora sobre os personagens principais.
Viviane é a personagem patricinha, que tem tudo na vida. Uma jovem de 18 anos que passou por uns bocados. Isso se deu ao câncer que seu pai teve. E na luta para acompanha-lo e ajuda-lo, Vivi teve que amadurecer porque sua mãe não era presente desde que o pai adoeceu.
Inicialmente pensara que ela é mais uma entre tantas, mas a autora sabe como fazer o leitor mudar de ideia. Assim como aconteceu comigo.
Não vou dizer que morrera de amores pela Vivi, por que terá momentos de ira pela teimosia da mesma e da cabeça dura.
Rafael é o personagem criado no velho clichê do bad boy, com atitudes ogras e ate um tanto perversas. Pega uma hoje e outras amanhã, não se amarrando a ninguém.
Porem conhecera a fundo a sua dor, que não é pouca. A dor que o faz ter atitudes que o levam ao vicio. Que no fundo você descobre um cara quebrado, sem rumo, sem perspectiva para nada, apenas para o agora.
E pela dor esses dois personagens suprem o que um precisa do outro. Uma historia de amor, que a primeira vista do leitor, não é nada mais, nada menos que o velho clichê, mas que ao adentrar na história, o surpreendente.
Outros personagens considerados por nós como secundários, são de suma importância para dar ênfase e sentido. Tanto para ligar, como para nos ajudar entender certos fatos. Então não os considero secundários e sim junção e participação essencial.
A trama ou drama deste livro trás a dor da perda, o que a morte de um ente querido pode levar uma pessoa a fazer, ou então a fortalecer para o futuro. Achei nova a forma de trazer uma trama que quase não se encontra no subgênero. Sendo muito bem trabalhada, pois assuntos que não entendemos e ate consideramos desleixe ou apenas desculpa de um ser, é explicada ao leitor, levando a entender.
Outro assunto que a autora aborda neste livro é sobre vicio, e a abstinência. Um assunto delicado, para quem não conhece, contudo bem explicado.
Porem teve coisas que não me agradaram, como:
A forma rápida do Rafael se envolver com Vivi. Os sentimentos foram revelados rápidos por demais. Ele era um pegador sem sentimento, para que de uma hora ele aparecesse morrendo de amor e cheio de ciúmes. Sei lá, pra mim faltou o crescimento dos sentimentos dele.
Outra coisa a me incomodar, foi que quando imaginei que a historia se daria fim, não havendo necessidade de prolongar, a autora enrola. Querendo dar aquele suspense, mas que no fundo não foi legal.
Há reviravoltas na leitura que são ótimas, que faz o leitor ter ataques de raiva, outra hora com vontade de confortar e blábláblá. Então, onde deveria haver foco e ate enrolar-se um pouco, não houve.
A diagramação é simples, diferenciado apenas por um detalhe: a cada capitulo temos trechos de musicas. A narração é intercalada por Vivi e Rafa, nos dando o prazer de estar dentro da cabeça e entendendo o que cada um deles pensa.
As folhas são amareladas, fontes no tamanho normal. E a capa não precisa dizer a quão bonita ela é.
Há, e o titulo do livro vocês entenderão no decorrer da leitura. Gente é muito lindo o significado <3 data-blogger-escaped-p="">Sim, eu gostei da leitura, na verdade eu adorei, e sim eu indico esta leitura. Como disse, ela surpreende quem esta fugindo do clichê, e para quem ama um bom romance este livro é um prato cheio. Nele você encontrara romance com uma pitada de sensualidade, drama, o valor da amizade, um tiquinho de ação e muita musica. O que em minha opinião não pode faltar.

Espero que tenham gostado da resenha. Não deixem de comentar, hei!

Beijokas para quem fica...

14 comentários:

  1. Olá
    Estou super curiosa por esse livro, pois a capa me atraiu muito, assim como a sinopse e o título, então, tenho bastante expectativas em lê-lo.
    Espero gostar bastante assim como você haha e amei a resenha.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/09/resenha-batalha-dos-mortos-rodrigo-de.html

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, tudo bem?

    Detesto quando o livro dá essa enrolada básica. Mas de uma forma geral, achei que a história de As Batidas Perdidas é interessante. Parabéns pela resenha

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  3. Mesmo apresentando inicialmente um clichê, acho que a história tem potencial. Já estou de olho nele há algum tempo, especialmente por saber que é de autora nacional. Ouvi vários elogios, e o seu tem grande peso por se tratar de uma fã do gênero. Mas, ao contrário de você, não curti muito a capa. E fiquei curiosa pra entender o título.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, tudo bem? Conheci esse livro ano passado num vídeo da Alba do Psychobooks, na época ele nem tinha previsão de que seria publicado, mas mesmo assim fiquei super interessada. Gosto de romances que fogem do clichê, mesmo quando tem todas as características de um. Concordo com você sobre a evolução de sentimentos, realmente me incomoda um pouco quando um personagem que era mulherengo, de hora para outra, se apaixona perdidamente por alguém e fica morrendo de ciúmes, também gosto de ver a evolução dos sentimentos. Fora isso, parece ser um livro ótimo.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  5. Olá Ana

    Achei super legal os capítulos começarem com trechos de músicas, também gostei de saber que o livro parece que vai ser repleto de clichês (e quem disse que clichê é tão ruim assim haha) mas que surpreende na medida do possível. Eu confesso que já tinha visto algumas resenhas positivas deste livro, mas mesmo com todos os temas interessantes abordados não é um livro que faz o meu estilo. Então dispensarei, mas certamente recomendarei a quem procurar por um bom romance.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  6. Ana lindona estava esperando sua resenha esse livro está sendo bem divulgado e na próxima semana a autora estará na saraiva autografando e lendo sua resenha fiquei louca para ler, esses clichês que surpreendem são leituras que dão prazer. E sobre a autora falar sobre vícios também chama atenção afinal é um tema delicada que deve ser bem abordado sem ficar pesada a leitura. Estarei lá na sessão de autográfos. ótima resenha beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Ana!

    Nunca havia visto nada sobre o livro antes, mas a quantidade de tragédia que a sinopse nos despeja me fez ter uma primeira impressão bastante negativa da obra.
    Lendo sua resenha, essa impressão foi amenizada. O gênero do livro continua não me interessando, mas saber que, apesar dos clichês, a leitura lhe foi de proveito é um ponto animador.
    Outro aspecto positivo que pude notar foi que a autora soube trabalhar bem até os personagens secundários, tornando-os não apenas coadjuvantes, mas elementos necessários para o desenrolar do enredo.
    Parabéns pela resenha.

    http://discodivinil.blogspot.com.br/

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Achei bem legal personagens secundários terem participações essenciais na trama, gosto bastante quando isso acontece. Em compensação, não gostei nem um pouco disso da autora não ter terminado o livro na hora certa e ter começado a enrolar. Mas, se mesmo assim você indica a leitura, vou tentar me animar pra ler.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  9. Oi Aninha. Eu recebi esse livro recentemente e vou ler em breve. Bem, apesar das ressalvas, percebi que é o livro é bom. Só fiquei encabulada aqui com o romance rápido, já que definitivamente não gosto disso.. Mas sou lendo mesmo. Espero que eu goste, parece ser bem interessante.

    Beijos,
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  10. Três coisa me atraem muito nesse livro: a capa, ser de autor brasileiro e a musica.
    Sempre que se trata de um NA eu gosto de ouvir sua opinião, mas dessa vez não fiquei muito convencida. Não gosto quando o autor da essa enrolada básica e essa de se apaixonar do nada.. sei la.. só a escrita da autora via de me dizer se eu me convenço ou não rs. Mas gostei muito dele ser narrado de forma intercalada. Essa é a característica do gênero que eu mais gosto

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir
  11. Oi Ana, tudo bem???

    Adorei a sua resenha, porque eu tenho muita vontade de ler esse livro... A capa é perfeita... linda demais... cada detalhe e saber que nesse romance tem uma pitada de clichê... e de amor, amizade, amadurecimento e perdas sei que vou gostar muito da leitura... mesmo com os pontinhos negativos levantados, mas que sinceramente não é o ponto alto da história tenho certeza.... Xero!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi Aninha, tudo bem?
    Não acredito que leu esse livro, estava aguardando uma resenha dele, pois adorei a capa e a sinopse, risos...
    Já me surpreendi, não esperava que o livro fosse tratar de assuntos tão sérios como esses. É muito mais profundo do que eu esperava.
    Sabe, Ana, a vida pode ser muito pesada as vezes, transformando crianças em adultos precocemente. Mas são apenas crianças e na maioria das vezes, elas não suportam tanto sofrimento. Por isso acabam perdidas e com comportamentos destrutivos.
    Tomara que o romance entre eles, seja aquele milagre que os salvará.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ana
    Tudo bem?

    Eu adoro essa capa e livro com pegadas musicais sempre me encantam.
    Livros com tramas e dramas sobre a perda de um ete querido e a superação sempre me instigam. Eu adoro acompanhar o crescimento da personagem que tem de lidar com a desolação e extrair forças de todos os poros para seguir em frente.
    Me arrependi por não ter solicitado antes o livro. Agora, estou me remoendo de vontade de conhecer a Vivi e o Rafa e como eles se auxiliam.
    Maravilhosa resenha!

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Quando foram anunciados os lançamentos, me interessei por este livro, porém, com o decorrer dos dias, ele caiu no esquecimento. Contudo, sua resenha me fez querer saber mais sobre ele, já ganhou pontos por não ser clichê. O que já é maravilhoso.

    Beijooos!
    Vivendo em Livros

    ResponderExcluir