27 outubro 2014

Ligeiramente Casados - Mary Balogh

Resenha por: Ana Zuky
Título: Ligeiramente Csados
Autor(a): Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance de Época
Páginas:288
Compare: Buscapé
Compre: Submarino  /  Americanas  /   Saraiva  /  Amazon
Nota:
À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página. 

Olá amores,
Quem me conhece sabe bem o quanto os romances de época me fascinam, e desde que soube do lançamento deste livro pela editora Arqueiro – que é a editora que mais publica esses romances – senti-me necessitada pela leitura.
Romances de época tem uma forma mágica de levar seu leitor ao passado desconhecido por nós de pleno século XXI. Onde são melosos – ao ponto certo –, cavalheiros lutam pela honra de suas amadas, o amor pode ser clichê, porem encanta da mesma forma. Por esses motivos, que me vejo encantada e sonhadora. Sim, quando leio um desses romances me sinto e vejo naquela época em que se passa. 
Contudo, eu me senti um tanto atordoada, como um peixe fora d’água ao ler o livro. A explicação é: Estou acostumada com os romances de Madeline Hunter, Lisa Kleypas e Julia Quinn, que usam a mesma forma de expressão para narrar vossas historias. E quando peguei o livro da autora Mary Balogh, Ligeiramente Casados; notei que sua forma de escrever e narrar é totalmente diferente. Não o vejo pelo lado ruim, e sim uma nova experiência. Uma nova forma de viajar ao passado.

A autora também foca mais nos acontecimentos ao arredor dos personagens. Não digo que isso seja de uma forma chata, mas quando se foca no romance de um casal, o foco devem ser eles, e não diferente. Os acontecimentos ao redor deles, devem ser narrados para podermos estar por dentro dos acontecimentos, mas nunca esquecer que o cenário é secundário.
O romance é construído aos poucos, aonde ele vai crescendo e se formando com o tempo. Porem o romance é um pouco frio no inicio, não consegui sentir aquela química entre eles. Podendo sentir isso somente nos últimos capítulos. 
Outro fator a ressaltar é a forma em que tudo acontece, o ato em que finalmente se entregam ao desejo carnal. A primeira cena deles foi algo frio, não teve aquele sentimento transportado pelas paginas a nós que estamos lendo. Como se fosse um ato de obrigação. 

Os personagens já são casos à parte, pois os dois principais e os secundários são muito bem construídos, com personalidades que fará o leitor ficar abismado e boquiaberto – assim eu fiquei – O Capitão Aidan, que por um juramento ao seu amigo e combatente, conhece a Eve. O Capitão se mostra um personagem no inicio seco, ignorante, mas com uma honra que fará muitas leitoras suspirarem. Com o decorrer da leitura conhecemos melhor este personagem, sabendo o porquê dele ser assim. Dando espaços para conhecer melhor, e adquirir por ele um amor e carinho. Sim, ele vai mostrando aquele lado que tanto ansiamos e amamos. 
Eve é a moça que graças ao irmão, e a sua morte, tem o desprazer de conhecer o capitão Aidan (este era o seu sentimento no inicio). Mas será ele o único a ajudar ela no momento em que mais vai precisar. Tendo que ceder a prol de sua família conquistada. 
Esta personagem sim vai cativar os leitores desde o começo, com sua força, dignidade e respeito. Alem de ser aquela mais forte e persistente nos seus ideais – que em um momento ira trazer uns importunos –. Nela o leitor ira ver a luta e a garra de uma personagem feminina.
Claro que temos os secundários, que fazem seu papel e deixam sua marca na historia, não falarei de todos e sim do Duque de Bewcastle; uns dos irmãos de Aidan, mas que por ser o mais velho, teve que deixar de ser aquele que um dia foi para arcar com suas responsabilidades. O que é muito comum para época. Ele pode parecer seco e de personalidade dura e imbatível, mas mostra um lado que encantara muitos.

Este livro é o primeiro de uma serie, qual contara com seis livros, onde falará sobre o romance de cada irmão dos Bedwyn, que não são fáceis de gostar, mas que por trás da forma de agirem, tem muito mais a mostrar e conquistar os corações de cada leitor.
Ao todo a minha opinião não foi totalmente satisfatória a minha pessoa, isso com toda certeza deu-se pela nova forma de escrita, que me pegou de surpresa. Não pretendo para de ler, ao contrario estou bastante curiosa pelos próximos livros e ansiosa para conhecer e saber de quem será o romance.
Li umas resenhas sobre o livro, onde dizem ser “outro romance clichê”, porem não é bem assim. Não vejo nada clichê nesta historia, é diferente e inovador para quem curte este tipo romance. Não se peguem nisso, pois garanto surpresas.

A capa deste livro segue o padrão dos romances, ela tem seu toque de época. Eu achei ela linda, a combinação das cores branco e vinho, ficaram em perfeita harmonia, dando aquela leveza e simpatia.
Diagramação deste livro é simples, folhas amareladas, fontes no tamanho padronizado. Erros na tradução e gramatical, nenhum encontrado.
Como disse: mesmo tendo me pego de surpresa, e sentindo-se um peixe fora d’água, eu indico sim a leitura. Gostei da forma nova de narra uma linda historia de amor, amei os personagens, e... Ansiosa pela continuação.

Esperam que tenham gostado da resenha.
Beijokas para quem fica...


14 comentários:

  1. Oi Aninha, tudo bem? Meu livro nem chegou e você já leu e resenhou...hahaha. Eu adoro esses romances de época, principalmente a Julia Quinn, e quando vi esse logo me interessei. Li o primeiro capítulo que a editora disponibilizou é gostei, espero gostar. A capa é linda mesmo.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  2. Ola Ana lindona eu assim como você também me encanto com Romances Históricos eles nos remetem a tempos antigos, já gostei de saber que a protagonista cativa desde o começo, tem personalidade , vou concordar quer o foco do romance deve ser o casal para que possamos sentir suas emoções . Estou com esse livro no Kobo vou ler com certeza . beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  3. Oiii,

    Vou confessar que não sou muito fã de romances de época, gosto, mas não muito, mas confesso que curti sua resenha, quando você disse que a autora descrevem os demais personagens fiquei meio assim, mas acho que não deve atrapalhar...

    Não é uma leitura para agora, quem sabe no futuro, espero que a autora continue sempre te supreendendo...

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana.
    Apesar de adorar romances de época, eu não me vejo lendo Ligeiramente Casados por causa da escrita da autora, li os capítulos iniciais cedidos pela editora, e não me senti confortável com a narrativa. E como não estou podendo acumular livros para ler, decidi deixar passar esse livro mesmo sabendo agora que ele traz um romance inovador fugindo do clichê.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Então Ana, não me interessei por esse. Primeiro porque não faz meu estilo, são aquelas suas outras resenhas que me cativaram a ler pelo menos um dos livros que estava gostando, mas esse, pelas coisas que mencionou e por saber que gosta bastante desse tipo de livro, não me interessou tanto. Eu até acho legal as vezes sair um pouquinho do foco principal, dar uma olhada nos secundários e tudo mais, mas acho que pelo visto aqui não funcionou tanto. Mesmo assim, você gostou, mas eu acho que não iria me dar bem lendo uma obra como essa. Enfim, vou tentar ler as outras que indicou, mas também não sei se irei gostar. Torço pra que sim!

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ana
    Eu leio muita resenha de livro de época aqui no seu blog e sei o quanto você gosta. Ainda não tive oportunidade de ler, mas acredito que eles encantam pelos motivos que você mencionou: essa viagem ao passado, esse amor galante, essa conquista da amada, honra, cavalheirismo e todas as convenções sociais que marcaram uma época. Vemos um amor tão banalizado ultimamente que ler sobre o passado é reconfortante! kk
    Eu tenho impressão de que há muito clichê nessas obras e desde que bem trabalhados não são defeitos. Eu não me senti interessado por este livro. Passei por uma experiência recentemente sobre a escrita da autora ter me atrapalhado e por isso já fico arredio.
    Amei sua resenha, mas sigo suas recomendações antigas dessas autoras apontadas! rs

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Achei estranho o foco não ser no casal e sim nos acontecimentos em volta dos dois... fiquei curiosa com esse estilo diferente de narrativa, até aproveitei o link da Amazon e fui lá solicitar uma amostra do livro, quero ver o quão complicado seria eu me acostumar a ela. Mas confesso que não estou muito animada, meu maior problema na verdade é se tratar de uma série de seis livros, já tenho muitas pela metade... mas seu eu gostar, de repente leio mais pra frente.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Eu não leio livros desse gênero, mas tenho vontade e o seu pequeno comentário sobre o motivo de ler tais livros me deixou completamente doida para pegar um romance de época e devorar kkkk Só que esse livro que você resenhou eu não lerei tão já, se for comprar algum livro desse gênero será algum da Julia. Enfim, adorei a resenha *-*

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá, moça.
    Ainda não li nenhum livro das outras autora desses romances de época da Arqueiro (mas confesso que tenho vontade), por isso não sei como essa autora trabalha diferentemente em seu livro a narrativa, mas como você falou que ela abrange muito as descrições e informações para tudo ao redor, eu entendi como algo positivo, já que se trata de um romance de época é, pra mim, essencial que o autor me insira no ambiente. Sobre o romance frio, acho que faz parte dos casais da época (não sei kkk). Eu espero muito poder ler esse livro em breve, e adorei sua resenha.

    Att,
    decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana, tudo bem? Nossa, eu sempre fico perdida nesses romances de época da Arqueiro. As capas são lindas, mas para mim são todas bem parecidas. Bom, não é um gênero que eu costumo ler, mas é bem gostoso e essa sensação de ser transportada para a época em que a história é escrita é incrível. Nossa, que diferente essa forma de escrita, mas acho que é porque você está acostumada a forma de escrever das outras autores, então quando ler os outros volumes você vai ir se acostumando.

    Os personagens parecem ser bem interessantes, principalmente a Eve que parece ser encantadora.

    Adorei a resenha!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  11. Olá Ana

    Não gosto muito de romances, mas leio muitos de cavalaria e sei bem o que você quis dizer sobre sermos imersos em outra época através da leitura. O que mais chamou a minha atenção foi sua descrição dos personagens. Gostei muito da personalidade da Eve. Enfim, ótima resenha.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Aninha, tudo bem?
    Estava cheia de expectativas como você, quando vi que sua resenha era sobre esse livro nem acreditei. Que pena que ele não é tão bom quanto os outros épicos da Arqueiro. Não entendi muito bem a diferença de narração a que se refere, acho que só pegando para ler para descobri. Mas pelo visto, deve te sido impactante.
    Se mesmo assim você quer ler os outros, então, acho que darei uma oportunidade.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Ana, tudo bem?

    Pedi Ligeiramente Casados na editora e vai ser uma das minhas próximas leituras. Adoro romance de época, então estou bem animada. Não sabia que o livro era uma série, bom saber, assim não fico cobrando coisas que ficarem no ar na leitura. Vc acha que essa autora é tipo a escrita da Jane? Que é mais formal e tudo o mais?

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  14. Sinceramente, não gosto dessa capa. Ficaria perfeita se a moça não tivesse esse troço na cabeça.. ficou parecendo um bebê!
    Enfim, tenho pouca experiencia com os romances de época, mas estou gostando de tê-las.. Fiquei bem curiosa para saber como é a forma de narrar da autora. Espero que, ao ler, esse estranhamento não atrapalhe minha leitura.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir