10 outubro 2014

O Visconde Que Me Amava - Julia Quinn

Resenha por: Ana Zuky
Título: O Visconde Que Me Amava
Serie: Os Bridgertons
Autor(a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance de Época
Páginas:304
Compre: Extra  /  Amazon  /  Cultura  /  Saraiva  /  Fnac  /  Travessa / Submarino / Americanas
Nota:


A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.
Olá amores!
Julia Quinn novamente nos leva ao um mundo distante, ou melhor, passado, nos mostrando costumes de uma época nada comparada a qual vivemos. Alem de que ela nos mostra a história de uma família fenomenal. Sim, uma família como os Bridgertons não existe e nunca existiu na literatura.
Este é o segundo livro de uma serie grande. O primeiro já lido e resenha por mim (aqui) me conquistaram de uma forma irredutível, criei um laço e amor pela família e pela autora de proporcionar uma leitura suave, hilária e cheia de acontecimentos, que somente quem leu ao livro saberá o que digo.

Neste livro a autora nos apresenta ao filho mais velho desta família, que tão novo teve que assumir o cargo de Visconde, isso ocorreu pela morte prematura de seu pai, que o mesmo trás para o Anthony um trauma. Acarretando responsabilidades desde os 18 anos, mas não pense que ele é sempre assim. Por ter herdado o titulo aos 18 anos, ele ainda não sabia exatamente o que fazer, mas cumpriu com honra ela, mantendo a família sempre bem, não por causa de ser obrigado, pois fazia por amor. E como disse, por ser novo, nunca pensou em se amarrar, ou então se obrigar a casar cedo, então levou uma vida de libertinagem. Quando finalmente se viu na corda bamba, precisando casar, ele decidiu casar-se, mas não queria e nem pensava em envolver o AMOR. Uma coisa causada pelo trauma de perder o pai.

Anthony esta a procura de uma noiva e logo se interessa pela nova debutante Edwina. Ela chama atenção de todos os cavaleiros que estão atrás de um casamento. Ela tem tudo que um queira – para época – uma linda pessoa, tanto pela beleza presente, quando pela interior. Porem quando ele pensou em corteja-la e assim torna-la sua esposa – seus planos – ele não imaginava que para casar-se com ela teria que lidar com sua irmã mais velha, Kate Sheffield. Quem foi que disse para Anthony seria fácil assim? Nem tudo na vida é da forma que queremos, não concordam. 
Kate sua vez não se mostra atrás de seus objetivos. Mesmo estando de lado, e todos querem apenas cortejar Edwina, e não a olhando. Ela não se sente jogada de lado, ao contrario, ela deseja a felicidade de sua irmã, que com certeza não é ao lado de Anthony, o libertino mais falado pelas crônicas da Lady Whistledown.
A guerra de entre gato e rato, começa. Kate não desejando que Anthony case-se com sua irmã, e Anthony tornando-se impertinente para o seu desejo. O que nenhum dos dois esperava era... Bom nem preciso dizer o que não é.

Bom não é preciso dizer que a historia possa parecer clichê, pois encontramos muito disso na literatura de hoje, homens fugindo do amor, mas a forma dela ser narrada, de ser bem pensada e escrita que torna a leitura envolvente e maravilhosa ao leitor (ou leitora) que lê. E assim se dá a leitura deste livro, Julia Quinn sabe bem como fazer uma historia ser notada e ser uma surpresa – mesmo não sendo – deixando-nos boquiaberta pela desenvoltura.
Claro que alem disso tudo, a história contém uma forma simples de nos manter conectados e viciados, querendo sempre mais a cada pagina virada. De forma natural é assim que desejo falar que é a escrita da autora. Ela sabe nos mostrar um mistério que nos instiga, sabe deixar a historia hilariante, isso se deve a família e também as tiradas da mais famosa e critica da época Lady Whistledown, que com sua língua afiada publica para época comentando e criticando as festas, as debutantes e também falando quase sempre desta família. Também não posso esquecer-me de falar de um bom romance, com direito a suspiros – claro, de nos leitores – pela forma de parecer simplesmente, mágico!

O livro, bom, a capa não é bem a minha preferida, mas não deixa de ter seu encanto. A diagramação é simples. Cada capítulo inicia-se com as crônicas de Lady Whistledown, tanto para nos fazer rir um pouco como para nos mostrar o que esta por vir, mas sem soltar spoiler. Erros, nenhum encontrado.

Para quem gosta de romance de época, ou apenas um romance, com toda certeza indico de olhos fechados – ou nem tanto assim, rs. – a leitura deste livro. Mas cuidado, que é viciante, depois não digam que não avisei.

Beijokas para quem fica...


13 comentários:

  1. Que lindo que você disse que uma família como os Bridgertons não existe nem nunca existiu na literatura! Sou louca para conhecer essa série, até já comprei os três primeiros volumes, mas ainda não consegui ler. Também acho que, mais importante que ser ou não clichê, é a forma como a história é contada, que bom que a Julia Quinn sabe fazer uma história ser notada e ser uma surpresa! =)

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, tudo bem???

    Bom eu tenho uma imensa vontade de ler esse livro, ou seja, a série... mas preciso terminar um pouco as que tenho aqui para terminar de ler as outras rsrsrsrs.
    Eu gostei muito da premissa desse livro... adoro as mocinhas fortes e decididas dessa época ela me enchem os olhos e os mocinhos ( não tão mocinhos) também... pelo que percebi esse livro vai me prender do inicio ao fim rsrsrsrs... Adorei os pontos positivos que você colocou isso só encheu os meus olhos... Xero!!!

    ResponderExcluir
  3. Oiii,

    Eu só ouço (leio) elogios sobre esse livro. Confesso que não sou fã de romances de época, mas leria somente para matar a curiosidade sobre a histórias :)


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, tudo bem? Gostei bastante da sua resenha, mas ainda não me animo a ler essa série, mesmo com todo mundo falando muito bem dela. Mas adoro esses romances que começam como uma briga de gato e rato, acho legal essa história de ódio virar amor e tudo mais.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana
    Gostei demais da sua resenha. Não sou muito fã de romances assim, mas ao saber que são livros de época e que retratam essas questões sociais me deixou instigado. Gostei de saber que essa família é tão marcante e encantadora e fiquei curioso com esse amor de gato e rato como a Rafa resumiu. hahaha
    Adorei a resenha :3

    Abraços
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana!
    Sou doida para ler essa série, mas quem disse que tenho tempo?! Essa foi a segunda resenha que li do Visconde e fiquei com mais curiosidade para conferir o que o destino revela para Anthony, Edwina e Kate.
    Você mencionou que o livro é um pouco clichê, mas acho que Julia Quinn soube driblar esse tipo de coisa, ou seja, trabalhou temas clichês de uma forma diferenciada, hehe. Sei que ficou confuso =/

    Mil beijos e uma maravilhosa semana,
    Cássia :*
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
  7. Ain Ana, eu preciso tanto conhecer essa família <3
    Quando tive que escolher por qual começar, acabei ficando com os Hathaway, mas sempre que vejo uma resenha dessa série meu coração aperta! Muito bom saber que você gostou do livro. Isso sempre me anima. Estou correndo para terminar a primeira série e ai irei correr para essa familia linda demais <3

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho muita curiosidade em ler essa série, não sou de ler livros de época, mas toda vez que vejo um comentário sobre algum livro dessa série eu fico com vontade de ler kkkk Até tenho um aqui o/ E embora as histórias pareçam um grande clichê, eu fico interessada, pois elas parecem ser lindas *-*

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ana lindona adoro romances de épocas, ex libertino a procura de noiva e irmã a defendendo pode até ser clichê mas o fato de ser um romance histórico já tem seu encanto. A capa não me agradou muito mas valorizo muito o conteúdo entrará para minha lista com certeza. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana,

    Sou louca pra ler essa série, nunca li nenhum romance historico e quero mudar essa historia, tem clichê que sempre nos chama atenção ne? assim que vi o nome de Edwina, já consegui achar ela chata, e logo pensei ele não pode ficar com ela, daí surge a irmã e já estou torcendo pro dois hahah! Amei a resenha Ana!

    Mayla
    http://meulivromeutudo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Com clichê essa mulher já arrasa corações, imagina no dia em que resolver inovar!!! :O
    O título não é muito atrativo, mas não é isso que vai me tirar a vontade de ler. Com tantos elogios às obras da autora, como não desejar conhecer esses romances de época?
    Bom saber que Julia encontra originalidade no lugar comum, acho que vou gostar dela.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  12. Olá Ana

    Romance romântico não é meu forte, acho que dá pra perceber, mas sempre vejo ótimas dicas aqui no seu blog e romances históricos que eu até acho interessante por se passarem em outras épocas com outros costumes e etc. Essa autora é sempre tão bem comentada que as vezes tenho vontade de ler alguma coisa dela pra sair da rotina e também ver se acabo curtindo. O livro realmente parece clichê mas gostei de saber que a forma como ele foi narrado e pensado o difere de outras tramas do tipo. Anotei a dica para um futuro não tão distante.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  13. Sou apaixonada por essa série! Li os quatro que foram traduzidos até agora e, de todos, o primeiro continua sendo o me preferido. Confesso que esse segundo foi o que menos gostei... Mas ainda assim achei bom. Eu adoro romances de época e a escrita da Julia Quinn é deliciosa! É exatamente como disse, mesmo você já sabendo o que vai acontecer, você fica empolgada para terminar de ler e saber como vai acabar.
    Estou na espera ansiosa pelo quinto livro <3

    http://sobrelivroseletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir