28 agosto 2015

Tensão - Gail McHugh

Resenha por: Ana Zuky
Título: Tensão #1
Autor(a): Gail McHugh
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Subgênero: Novo Adulto
Paginas: 336
Ano: 2015
Compare e Compre: Buscapé
Adicione: Skoob
Pontuação:
Sinopse: Tensão - Após a morte da mãe, a vida de Emily Cooper vira de cabeça para baixo. Ela precisa de um novo começo, e Dillon Parker, seu namorado, a convence a se mudar para mais perto dele a fim de passarem mais tempo juntos.Em Nova York, Emily arranja um emprego temporário como garçonete em um restaurante no centro de Manhattan. Ao sair para fazer uma entrega logo no primeiro dia de trabalho, ela esbarra em Gavin Blake, um empresário sexy e bem-sucedido. Assim que seus olhares se encontram, há uma tensão no ar, mas nenhum dos dois consegue entender ou explicar essa forte conexão. Atormentada, Emily tenta não pensar muito naquele desconhecido que mexeu tanto com ela.Porém, ela descobre que Dillon e Gavin são amigos e que terá de conviver com ele muito mais do que poderia ter imaginado. Perdida em sentimentos confusos, Emily sente o desejo por Gavin crescer e se tornar mais ardente a cada vez que se encontram. Será que os dois vão resistir à tensão ou se entregar a essa paixão, apesar de todas as consequências?

Tensão é o primeiro livro da duologia Tensão da autora Gail McHugh, lançado pela editora Arqueiro.

Após Emily Cooper perder sua mãe, seu namorado Dillon, insiste para que ela venha morar em Nova York com ele, porém não está preparada para dar este passo, então decidiu morar com sua animada amiga, Olivia.
Formada para ser professora, mas sem encontrar algum emprego na área, Emily começa a trabalhar num restaurante de estrada, logo em seu primeiro dia o patrão pede a ela para fazer uma entrega de emergência, não havendo como ela recusar. Chegando ao local da entrega, Emily conhece Gavin Blake, dono de uma das maiores agências de publicidade de NY, logo que ele põe os olhos nela sente uma atração. Passando a partir deste dia a frequentar o restaurante para poder vê-la.
A atração que ambos sentem é forte, fazendo com que ela cresça de forma estrondosa. Contudo as coisas começam a complicar quando Emily descobre que seu namorado, Dillon, é amigo de Gavin. Tornando os desejos de Emily um erro e risco para tudo que conhece e deseja para sua vida. Mas ela seria forte o suficiente para resistir ao charmoso e irresistível Gavin? Gavin será capaz de abdicar ao seu desejo e felicidade, para deixar Emily seguir seu caminho?

Narrado em terceira pessoa a autora dá a chance de estar a par de tudo o que está acontecendo com os personagens e ao seu redor. Tornando fácil a ligação com a história e os dramas, como ao da Emily, que desde o início mostra sua inocência ao que conhece e deseja. Provocando irritação descomunal.
O drama de Gavin, é desejar o que sempre almejou, o amor. Porém, ele não contava que a pessoa que viria aclamar seu coração fosse aquela que poderia, também, destruí-lo. Me fazendo em vários momentos xingar e noutro sentir aflição por ele.

Caso a intenção da autora fosse deixar seus leitores transtornados, ela conseguiu, ao menos comigo. Por que não houve um momento da leitura que não sentisse aflita e em conflito com o que estava lendo. A razão disso foi a personagem Emily, talvez sua inocência sobre o que seria a vida tenha sido exagerada. Tudo estava muito bem exposto sobre as intenções de Dillon com ela como as do Gavin, mas ainda assim, ela continuava a se recusar em reconhecer o certo do errado. Confesso que o ditado muito bem conhecido: “Trocar o certo pelo duvidoso” foi levado ao pé da letra pela personagem, mesmo que o certo tenha mostrado ser o errado desde o início. Assim Gail criou sua personagem principal feminina. Já com Gavin, foi ao contrário, mesmo ele sendo aquele tipo de personagem previsível: Ceo de uma empresa, lindo, charmoso, encantador e irresistível, foi impossível não cair de amores e torcer muito para suas lutas serem exata. A salvação em meio ao caos!

Sei que muitos de vocês não são fãs de triangulo amoroso, mas a autora criou um incomum. Dillon, é o tipo de personagem que está na história para causar transtorno e não para fazer o leitor ficar na dúvida.

Bom, minha conclusão sobre esta história não foi das melhores, acabei me decepcionando muito com a forma que foi desenvolvida a personalidade de Emily, minha explicação pela pontuação. Contudo, estou louca pela continuação, já que a autora terminou Tensão para lá de cabuloso, e quero muito saber o desfecho que ela vai dar a este casal. Minha conclusão para o fim seria: Gavin com uma mulher que o merecesse e Emily sozinha. Mas como sei que isso não vai acontecer, espero um final digno ao meu rapaz lindo.

Ainda que tenha me irritado, descabelado e xingado muito, eu gostei da leitura. Gostei de sentir este conflito que a tempos não me atingia numa leitura. Gosta de romance, quer saber melhor o que estou falando, os convido a ler Tensão. O título faz jus a história.

Gostou? Então Curta e Compartilhe ♥

8 comentários:

  1. Oi, Ana. Tudo bem? Uma boa resenha. Quando tive a oportunidade de ler este livro, preferi outro. Havia ficado com medo de não gostar, mas, pelo o que li na sua resenha, não deveria ter perdido a chance de lê-lo. Gosto de romances assim e não tão melosos (Zzzz).

    Http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oiii!


    Eu não li esse livro e sou uma das que não gosta de triangulo amoroso, mas é incrivel como muita gente elogia esse livro dizendo que a autora fez algo muito diferente.
    Gente, ninguém merece protagonista chata, acho que isso acaba com o brilho da obra ><

    Gostei da sua sinceridade e espero que o desfecho faz jus a esse personagem tão fofo quanto vc diz <3


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  3. Oi! É incomum ver uma leitora torcer para o ~mocinho~ não ficar com a personagem principal. Achei interessante seu ponto de vista nesse sentido, mas nada que tenha me feito ficar com vontade de ler esse livro. Ficaria super irritada com a personagem durante toda a obra e acabaria abandonando.
    Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

    ResponderExcluir
  4. Mesmo que a autora tenha criado um triângulo amoroso incomum, ainda é um triângulo, e nem tenho palavras para descrever como odeio isso. E essa Emily parece mesmo extremamente irritante, por tudo que já li sobre ela. Não tenho vontade de conhecer a duologia.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, tudo bem??
    Adorei a sua resenha. Eu já tive muita vontade de ler o livro, pelas resenha que tenho lido realmente o título faz jus a história... eu não desisti, mas ele não está nas prioridades.... a Emily tem a mania de irritar e fazer alguns leitores gostar dela. Eu adoro um triângulo amoroso... e por mais que as coisas estejam bem evidentes na cara da protagonista... acredito que existe pessoas com essa inocência, talvez porque ela sinta uma enorme gratidão e tem também o comodismo faz com que ela fique em dúvida, como deve agir apesar da atração que sente pelo CEO lindo... enfim... só lendo mesmo para compreender as coisas... fiquei bem curiosa pelo final... Xero!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana, tudo bem?
    Eu tenho uma amiga que ama essa série, mas não tenho tanta vontade de ler não. Já ouvi falar sobre essa personalidade da protagonista é me desanima muito.
    Por enquanto não vou ler, mas quem sabe um dia né? Mas em todas as resenhas que li desse livro todos falam desse final, fiquei curiosa quanto a isso.
    Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  7. Ola Ana vou concordar com você a Emily irrita profundamente com sua ingenuidade e essa gratidão eterna ao pilantra do Dillon, Gavin com certeza salvou o livro, passei muita raiva com a protagonista, a autora tem uma escrita direta sem enrolação. Comecei a ler o segundo livro mas acabei parando, Emily ainda me irrita rssss. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Oie, Ana!
    Eu não leria Tensão, mas fiquei levemente interessada pela história. Do tipo que gosto de ouvir, mas não me aventuraria a ler, sabe? O gênero não é meu favorito, e se você se decepcionou, imagina eu? Mas claro, não pude deixar de ficar curiosa sobre o Dillon, e também sobre os motivos de a construção da Emily ser tão fraca. Parece ser um marco em livros assim, não é não? Mesmo sem ler, até eu fico irritada.

    Com carinho,
    Celly || Me Livrando

    ResponderExcluir