11 outubro 2015

[CEOgames] A produção de jogos brasileiros



Iaê, amada garotada!

Nesse fim de semana, 09-12 de outubro, está rolando a Brasil Game Show, ou somente BGS, que gerou muitas expectativas entre os jogadores durante 2.015 inteiro. Eu iria, está sendo realizado aqui em São Paulo, a apenas um ônibus e uns minutinhos de caminhada. Entretanto, fui escalado para trabalhar justamente para o dia em que comprei o ingresso. Ainda consegui mudar o horário, mas vi que não adiantava, não compensaria mais.

Entretanto, pessoal, não ir até lá não significa que não podemos sentir o que está rolando. É claro que indo a pessoa tem mais experiência. Mas no sentido de "o ideal do evento", a presença não é necessária. Explico: o ideal da BGS sempre foi o de lançamento de jogos. Tanto que ela é categorizada como "feira de games". Indo até lá, podemos conferir de perto esses lançamentos, mas por fora podemos nos atualizar perfeitamente.

A galera está focada nos grandes jogos que estão sendo apresentados por lá, como Halo 5: Guardians, Tomb Raider etc, mas há um espaço reservado para desenvolvedores brasileiros de jogos. É aí que quero focar.

Tem muita coisa boa. O próprio Phil Spencer (chefão da divisão Xbox, da Microsoft - ou simplesmente presidente do Xbox) compareceu ao evento e deixou bem claro que quer deixar o Xbox próximo do público brasileiro. Eu não tenho certeza, mas os primeiros jogos de fora a serem traduzidos e dublados para o português brasileiro foram os de Xbox. Depois pesquiso direitinho, porque a ideia que quero apresentar pra vocês é: "Brasileiros fazem melhor".

Essa expressão é bem relativa, claro. Os brasileiros não conseguem fazer jogos melhores do que os dos estrangeiros AINDA, mas isso se dá devido a uma série de fatores. Pra começar (e pra terminar também) a política local dificulta tudo. Não vou entrar em detalhes porque não é o foco, mas todos sabem que, em qualquer setor de produção brasileira, a nossa política é que nos impede de fazer melhor.

Eu arrisco dizer que se tivéssemos o mesmo incentivo para produzir jogos que têm os norte-americanos, europeus e asiáticos, seríamos os melhores produtores. Eu sempre falei que o Brasil é país de primeiro mundo, só não está lá por causa da política e de toda essa sacanagem de corrupção. Mas voltando ao foco, eu argumento que nós faríamos jogos melhores se dispuséssemos dos recursos essenciais porque me baseio na propaganda.

De todos os lugares do mundo, a propaganda brasileira é a mais criativa, cativante, eficiente e carismática. Digo isso porque vivi três meses em Portugal e os comerciais lá eram ridículos. Falam a mesma coisa dos Estados Unidos. Existe até a expressão "Brazilian Do It Better" (brasileiros fazem melhor), porque realmente fazem.

E eu quero citar dois jogos em especial: Aritana e a Pena da Harpia, e Better Late Than Dead. Por sinal, fica aqui minha repúdia a jogos nacionais com títulos estrangeiros.

Os dois estão em exposição na BGS. Eu baixei os dois jogos, joguei e tive boas impressões. Futuramente posso fazer uma postagem de review de ambos, mas pude conferir realmente que os jogos estão muito bons. Gráficos e jogabilidade. O Aritana, por exemplo, tem uma interface agradável, gráficos suaves, trilha sonora muito boa também. Enfim, coisa boa.

Jogando qualquer um desses jogos, percebe-se nitidamente que o Brasil tem talentos. Os jogos são fantásticos, mas infelizmente não recebem o apoio necessário. É uma pena, porque a diversão é garantida com esses gameplays. E acredito que os próprios jogadores brasileiros deveriam ter mais atenção com esses jogos, não ficar só na mesmice do estrangeiro. Os dois jogos que citei são muito bons mesmo, sabe quanto paguei por eles? R$ 45,98. Vai por mim, você já pagou muito mais caro por um jogo bosta.

Vocês podem comprá-los na Steam ou, no caso de Aritana, na Xbox Live. Aritana tem versão para Xbox One, PC e Mac.

Vejam os trailers abaixo:

Aritana:

Better Late Than Dead:


Forte abraço e até a próxima!

9 comentários:

  1. Oi Gunnar, tudo bem? Já joguei Aritana a um tempinho atrás, mas acabei deixando de lado pela indisponibilidade de tempo, porém me lembro de ter gostado muito.
    Assim como você também penso que os brasileiros tem muito talento, mas infelizmente, toda essa política não nos deixa mostrar isso. E devido a isso, acabamos dando mais valor ás coisas vindas de países afora. Triste realidade, né?
    Pena que você não poderá ir ao evento ;/
    Abçs!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Não sou alguém que costuma jogar, mas admiro aqueles que participam desse universo e lutam para que o sistema brasileiro dê mais oportunidades e investimento para aqueles que tem potencial criativo. Investimento esse, que como você citou é muito raro no país, e isso não acontece apenas com os jogos, mas também no incentivo ao esporte, dentre outras atividades nas quais os brasileiros tem capacidades que não são exploradas. É uma pena, mas temos que lutar sempre para conquistar nosso espaço *-*

    ResponderExcluir
  3. Não sabia desse evento que teve, mas eu não conseguiria ir de qualquer jeito, moro muito longe de São Paulo :/
    Eu gosto bastante de jogos assim, não costumo jogar por falta de tempo. Confesso que nunca joguei nenhum jogo do Brasil, e agora fiquei bem interessada em conhecer esses dois que você citou, e eles realmente não estão caros. Gostei do trailer deles, e com certeza vou querer conhecer eles melhor quando tiver tempo (o que provavelmente vai ser só no final do ano :P )

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. não sou muito de jogar mas tenho irmaos e eles são super viciados por isso entendo um pouco do assunto, vou contar essa novidade para eles.

    ResponderExcluir
  5. Uma coisa que não curto muito são jogos kkk o único que eu jogo/joguei foi resident evil, até que é legal porém não é minha praia.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Gunnar. Há um bom tempo parei de jogar. Mas, sempre é bom relembramos esta época em algum momento da vida, não é mesmo?! Concordo com você em vários pontos, mas principalmente em dois, a dificuldade em que a política impõe para o desenvolvimento de melhores coisas para nosso próprio país e a repudia para jogos brasileiros com nomes estrangeiros, indignação. Enfim, dos 2 jogos, o mais interessante para mim foi Aritana e a Pena da Harpia.

    ResponderExcluir
  7. Bom, eu não entendo muito sobre jogos, mas para quem gosta esse Game Show, deve ter sido o máximo, que pena que não deu para você estar presente, mas que bom que mesmo não indo tem como se atualizar dos acontecimentos do Game Show.

    ResponderExcluir
  8. Confesso que não jogo muito, é muito raro, prefiro mais os livros do que os jogos, mas achei bem legal isso pois conheço varias pessoas que gostam muito de jogos

    ResponderExcluir
  9. Não sabia sobre esse evento e não sou mais de jogar, eu nem tempo tenho de mexer no meu próprio computador! Mais achei bacana e divertido eles criarem um evento para isso.

    ResponderExcluir