14 dezembro 2015

[CEOgames] Desbloqueio do Playstation 4



IAÊ, AMADA GAROTADA!

Quando os videogames não eram aquilo que eu chamo de "smartgame", ou seja, quando não tinham conexão com a internet, rede social, compras online ou partidas cooperativas, o desbloqueio dos aparelhos era algo absolutamente comum. A pirataria sempre foi crime, mas os jogos piratas ofereciam a mesma qualidade de um produto original.


Eu me lembro que quando fui comprar meu PlayStation One, os amigos do meu pai falaram "compre destravado, se não o videogame só vai ler jogo original". como eu tinha meus 08 anos de idade, achava que comprar videogame travado era tremenda idiotice. De fato era, embora o mercado de games fosse prejudicado à beça.

O PlayStation 2 eu comprei em Portugal, e a primeira coisa que fiz quando retornei ao Brasil foi levá-lo ao mercado cinza e destravá-lo. Nesses países desenvolvidos não existe jogo pirata, e eu até achava que era um atraso. dizia para meus amigos brasileiros de lá: "Saudades do Brasil. Lá um jogo custa 5 reais, lembra?".

Com os smartgames, o destravamento ficou complicado, porque agora há uma rede de comunicação entre a desenvolvedora do videogame e cada unidade dele. A programação permite que qualquer jogo pirata seja detectado, o sistema de segurança ativado, o aparelho bloqueado e a conta banida. Só desvantagens. Primeiramente porque o aparelho é bloqueado mesmo, e o falsificador não consegue jogar mais nada, nem mesmo os jogos originais. E depois, com a conta banida, o cara não consegue fazer login nem em outro console.

Muitos jogadores mudaram então seus hábitos e passaram a adquirir jogos e consoles originais. O resultado foi imediato e o mercado de games cresceu imensamente. O sistema do Xbox 360, já um smartgame, ainda foi facilmente burlado e teve o destravamento bem sucedido, porém isso não aconteceu com seu concorrente PlayStation 3, e nem nas novas versões dessas duas marcas, o Xbox One e o PlayStation 4. Mas infelizmente ainda há uma corrida entre programadores mal-intencionados que tentam desbloquear esses jogos.

A grande pedra no sapato desses programadores é que como os videogames atuais mantém comunicação em rede com suas respectivas desenvolvedoras, eles recebem atualizações constantemente, que alteram oficialmente o sistema corrigindo falhas, melhorando o desempenho, adicionando novas ferramentas à interface etc. Cada atualização dessa, que é gratuita, acaba com qualquer desbloqueio dos piratas. Os jogadores que pirateares seus aparelhos podem continuar com o sistema desatualizado para o não perderem o desbloqueio, mas não conseguirão jogar online e, claro, não poderão usufruir das novas ferramentas.

Um desbloqueio perfeito seria aquele que aceitasse essas atualizações normalmente, sem perder o desbloqueio e ainda permitindo jogar online como qualquer console original. O único programador que conseguiu isso ganhou um emprego na Sony, segundo fontes oficiosas.

Trouxe esse assunto para o S.A. porque essa semana foi divulgado um desbloqueio para o PlayStation 4 por um programador conhecido como CTurt. Ele injetou um código externo no sistema e obteve domínio sobre o aparelho (fonte: http://www.tecmundo.com.br/video-game-e-jogos/91716-aconteceu-playstation-4-oficialmente-desbloqueado.htm?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_campaign=thumb).

Já expliquei a vocês as desvantagens que o jogador tem ao usar software alterado, e focando no fator da atualização, esse desbloqueio funciona somente na versão 1.76 do sistema. Hoje o sistema do PlayStation 4 já está na versão 3.11, ou seja, o desbloqueio funciona somente em uma versão bem antiga, impossibilitando o jogador de usufruir das novas ferramentas e o cara ainda comete um crime. Percebeu que é uma bosta besteira muito grande utilizar jogo pirata?

O que é melhor ainda é que as produtoras de jogos estão desenvolvendo seus games com uma "armadilha", que só é ativada em softwares desbloqueados. Por exemplo: no jogo Serious Sam 3, logo na primeira fase aparecem em escorpiões gigantes e invulneráveis para quem estiver usando versão pirata. Impossível continuar o jogo;

Mas essa é a melhor de todas: em Crysis Warhead, um jogo de FPS (tiro em primeira pessoa), a produtora colocou um código na programação que só é ativado se o jogo for pirateado. Esse código substitui as balas das metralhadoras por galinhas! Cara, isso é sensacional! Veja o vídeo abaixo, de 31 segundos, mostrando isso:







Diversas produtoras adotaram essa estratégia. A melhor parte é ver os jogadores inocentes, tadinhos, indo ao suporte das empresas via Facebook ou Twitter. Melhores ainda são as respostas dos desenvolvedores, que sempre é algo como "o problema é que você está usando jogo pirata. Compre-o que tudo será resolvido.".

Não existe vantagem em jogar jogo pirata, pessoal. PS1 e PS2 ainda é compreensível o desbloqueio (compreensível, não aceitável), mas nessa era tecnológica que estamos vivendo é impossível.

Lembre-se: a prática de pirataria ou distribuição de cópias não autorizadas de softwares protegidos por direitos autorais é crime. A violação do decreto que determina isso pode render de seis meses a dois anos de prisão, além do pagamento de multa e indenização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário