23 março 2016

Dearly Departed - Lia habel

Resenha por: Ana Zuky
Título: Dearly Departed
Autor(a): Lia Habel
Editora: ID
Gênero: Romance / Fantasia
Paginas: 480
Ano: 2012
Compare e Compre: Buscapé
Adicione: Skoob
Nota:
Sinopse: Ela é Nora Dearly, uma garota neovitoriana de 17 anos que sofre com a morte dos pais e vive infeliz aos cuidados da tia interesseira. Ele é Bram Griswold, um jovem soldado punk, corajoso, lindo nobre...e morto! No ano de 2187, em meio a uma violenta guerra entre vitorianos e punks, surge um perigoso vírus, capaz de matar e trazer novamente à vida.As pessoas tornam-se zumbis, mas nem todos são assassinos e devoradores de carne. Há os que lutam para que o vírus não se espalhe...Apenas Nora tem o poder da cura em suas mãos, ou melhor, em, seu sangue. Ela não sabe disso, e corre perigo. É papel de Bram protegê-la...


A história se passa no ano de 2193, num mundo que após guerra e desastres naturais, fez com que a população sobrevivente migrasse para reerguerem uma nova sociedade, qual adotou costumes neovitoriano, acreditando ser o melhor para todos. Neste cenário pós-apocalíptico é que somos apresentados a historia de Nora que esta de luto, a sociedade permite no mínimo um ano de luto, e é este o tempo que passou desde que seu pai, um cientista renomado, morreu. Porém, sua melhor amiga, Pamela, não aceita sua relutância em manter o luto e a convence colocar mais cor enquanto se arrumam para voltar para casa, nos Campos Elíseos, onde Nora vive com sua tia Gene, uma viúva que já havia vivido o luto por duas vezes, e agora anseia para seguir com a vida e arranjar um casamento para alcançar um status social alto, nem que para isso ela use sua sobrinha, já que culpa seu irmão e pai de Nora, pela sua atual situação.
No caminho para casa acontecem interrupções, causado pela guerra entre neovitorianos e Punks que se estende por anos, fazendo Nora ir a pé. Mesmo com a intervenção de Pamela sobre os perigos, ela continua convicta e segue, sem saber o que a espera. No caminho para casa é surpreendida por um homem misterioso que, ao se aproximar, relata sobre o perigo que a cerca, assim tentando convencer ela em segui-lo. Repudiando a ideia do estranho e provocando um quase sequestro, sendo interrompido pela polícia local.
O que o estranho queria com ela ao mencionar o perigo? Por que ela deveria segui-lo?

Narrado em primeira pessoa por Nora, Pamela, Capitão Wolfe e Bram, capitão do exercito zumbi, alem de personagens coadjuvantes. Começando com apresentação de Bram e sua história, uma entrada cheia de mistérios que faz a diferença.
 Assim, sucessivamente, cada personagem vai tomando seu lugar, cada um em seu papel importante para desenrolar toda a trama e atar as pontas soltas que ficam no decorrer da leitura.

Durante a leitura entendemos que a dois tipos de zumbis, os que comem carne, não têm domínio da mente e muito menos controle da sua fome, além de serem mais violentos, nomeados cinzas; e os não-vivos que sabem controlar sua fome, tem o domínio do raciocínio, e são um exército formato para combater os cinzas e manter a existência deles longe do conhecimento dos humanos, porem, os não-vivos tem um tempo de vida curto ao contrario dos cinzas, vivendo apenas sete anos. Um ponto interessante nesta apresentação é que criar ou até mesmo imaginar os zumbis é surreal levando em conta o que sabemos sobre esses seres sobrenaturais, mas, a autora conseguiu criar na base da mitologia os “seus” zumbis - sem perder a essência original - mais apresentáveis ao leitor.

Cada personagem tem seu destaque, como Bram, é o tipo de personagem que conquista o leitor, mesmo que no início tenha mostrado um tanto rústico, mas logo conhecemos o lado cavalheiro, apaixonado e protetor, tornando impossível não o admirar e desenvolver uma estima grande por ele. 
Já Nora, está longe de ser a típica personagem feminina. Ela é de opinião pois foi criada de igual para igual pelo seu pai, tendo convicção sobre as suas atitudes e não se submetendo às regras que são impostas pela nova sociedade. 

A diagramação do livro é simples, apenas com um pequeno detalhe abrindo cada capítulo, que lembra um maquinário. Folhas são amareladas, fontes no tamanho proporcional para a leitura e revisão, que é minha reclamação, têm erros grotescos, o que me leva acreditar na falta de atenção da editora. A capa tem um charme sombrio mostrando o lado sobrenatural e ainda o steampunk, em minha opinião muito bonita e chamativa que desperta interesse do leitor.


Lia Habel envolve seus leitores num mundo de fantasia com ação, intrigas e romance. Um ótimo livro para quem esta a procura de algo diferente para sair da mesmice. Um entretenimento maravilhoso que super-recomendo, mesmo com as ressalvas antes citadas.

10 comentários:

  1. Oiii, tudo bem?
    Menina que livro é esse? Só pela sua resenha me senti completamente envolvida <3 preciso dizer que quero ler realmente, fiquei me perguntando em uma coisa, tem físico? Imaginei essa edição em minhas mãoss, é um gênero bem diferente, seria uma boa ler algo que acontece no futuro.
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Oieee, tudo bom? Olha, no decorrer da sua resenha acabei me envolvendo com a história porque curto tudo que tenha zumbis <3 Mas também odeio edições com erros, fico indignada. Por outro lado, quando o livro é bom a gente até passa por cima disso né? Tô bem divida agora hahahaha. Vou pesquisar mais sobre o livro pra ter certeza de que não vou me arrepender!Bjossss


    http://www.porredelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana, tudo bom?

    Eu gosto muito desses livros que se passam num ambiente pós-apocaliptico e adoro zumbis também, tanto que fiquei muito feliz quando você disse que a autora criou o seu zumbi sem perder a essência do original. Eu só acho que a capa não transmite nada da história que você falou... Pra mim parece ser mais um romance de época, infelizmente.

    Abraços,
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho os dois primeiros livros, mas nem sei se irei ler, já que a editora faliu. Não consigo ficar sem saber o final de uma estória. Eu vou ficar aguardando que uma santa editora resolva republicar esses livros... com uma revisão melhor, hahahaha...
    Sobre a estória, o pior é que ela continua me atraindo, e sua resenha me deixou ainda mais tentada.... preciso resistir!

    Bjs.

    www.ciadoleitor.com

    ResponderExcluir
  5. Oii, tudo bom? Não conhecia a obra nem a autora mas confesso que este misto de distopia/fantasia/zumbis não me agrada muito. Acho que misturar muitos elementos não funciona para mim! =/ Mas adorei sua resenha, muito bem escrita!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  6. Olá, não conhecia essa obra e a premissa parece ser interessante. Adorei a resenha, parabéns!

    Abraços
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  7. Oie
    o livro não é bem o tipo de gênero que curto então vou deixar a dica passar mas parece ser uma ótima leitura para quem curte o gênero então vou indicar a alguns amigos

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, essa foi a primeira vez que vi esse livro. Li a sinopse e já achei a premissa interessantíssima, mesmo não sendo muito fã de zumbis. Ao ler sua resenha fiquei com bastante vontade de ler o livro, mesmo com suas ressalvas, fiquei curiosa para saber como a trama se desenrola.

    ResponderExcluir
  9. Olá!!
    Nossa é realmente um livro extremamente diferente!
    Não o conhecia e para falar a verdade, não me interessei muito pela leitura mesmo a história parecendo ser bem instigante pq eu tenho um sério problemas com zumbis sabe!

    hahahaha

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  10. Ana, amei sua resenha, e olha que não curto muito fantasia, mas me interessei por esse livro, adorei.

    ResponderExcluir