03 março 2017

Ninfeias Negras - Michel Bussi

Sinopse: Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho.É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte – principalmente as protagonistas.Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.

Gênero: Romance Policial │ Paginas: 352 │ Ano: 2017 │ Editora: ArqueiroSkoobBuscapé

Resenha: Sou uma romântica incomparável, mas existem momentos que preciso fugir dos romances. Por isso adoro me aventurar nos suspenses, principalmente os que mechem com o psicológico.
Até o momento não tinha lido nada do autor Michel Bussi, mas em minhas pesquisas, quando procurava minha próxima leitura, encontrei Ninfeias Negras do autor, e segundo as criticas, a escrita era um tanto enigmática. Curiosidade bateu e decidi ler o livro.
A história começa na pacata cidade de Giverny, conhecida por ter sido o lar e inspiração do grande artista Claude Monet, após o corpo do medico local ser encontrado e ser considerada um assassinato, atiçou a sossegada vizinhança. Quem matou o medico?
Diante de tantos personagens, o eixo principal fica com três personagens, uma senhora idosa que narra os acontecimentos na vizinhança, uma jovem professora que vive presa a um casamento sem amor e deseja, profundamente, fugir do casamento e da cidade Giverny e uma garotinha de onze anos que sonha em ser uma grande pintora, assim como seus ídolos.
A narração intercala em primeira pessoa, quando a senhora idosa entra em cena, parecendo àquelas velhas fofoqueiras que sabe de tudo, e terceira pessoa quando se trata da professora e a garotinha. Pode parecer confuso, inicialmente, a razão de essas três personagens estar ligadas a morte, porem, conforme a trama vai se desenrolando, e as pontas soltas vão interligando o que era confuso se torna genial.

Comecei a leitura sem expectativa de algo grandioso, esperava só mais um “suspense”. Mas conforme as paginas iam se virando, mais presa eu estava a historia. As peças do quebra-cabeça que eram deixadas, quando achei que estava com a peça certa, prontas para encaixar percebia que fora enganada, que um detalhe estava faltando. Continuei a procura delas ate os últimos capítulos, foi quando percebi que fui enganada durante toda minha trajetória. Fiquei abismada e um tanto enfurecida, mas devo parabenizar o autor por ter conseguido me confundir e me deixado presa ate a ultima folha.
A forma de o autor escrever o suspense sem deixar muitas pistas, ou seja, entregando a solução de bandeja ao leitor antes de chegar ao fim, é maravilhoso e diferente de muitos outros suspenses por aí. Entretanto, para alguns leitores, a escrita bem detalhista pode parecer cansativa. Sim, o autor é tão detalhista que não deixa uma cena sem uma visão panorâmica. Ele gosta tanto dos detalhes que em alguns momentos durante a leitura de ninfeias Negras, se aprofunda, demasiadamente, na historia da arte de Monet. Desvencilhando da investigação. Frustrante, não acham?  Apesar deste percalço, não tem como dizer, UAU!

A diagramação é simples, fontes em tamanho confortáveis e folhas amarelas. Ajudando o leitor a ter uma leitura agradável. A revisão está boa e a capa está linda e sinistra, assim como a historia.

Ninfeias Negras é o tipo de leitura que deixara o leitor preso do inicio ao fim. Você se tornara um detetive extra no caso, porem quando achar que já sabe quem é o assassino... Sinto informar, mas esta, redondamente, enganado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário